domingo, 6 de novembro de 2011

mamiferos


Panda-gigante
Panda-gigante no Ocean Park Hong Kong.
Panda-gigante no Ocean Park Hong Kong.

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Ursidae
Género:Ailuropoda
Espécie:A. melanoleuca

Nome binomial
Ailuropoda melanoleuca
(David, 1869)

Distribuição geográfica
A espécie está distribuída em seis regiões montanhosas da China.
panda-gigante ou urso-panda (nome científicoAiluropoda melanoleuca, do gregoailuros, gato + poda, pés; e melano, preto + leukos, branco) é um mamífero carnívoro da família Ursidae endêmico daRepública Popular da China. O focinho curto lembrando um urso de pelúcia, a pelagem preta e branca característica e o jeito pacífico e bonachão o tornam um dos animais mais queridos pela humanidade. Extremamente dócil e tímido, dificilmente ataca o homem, a não ser quando extremamente irritado.
Urso-polar
Polar Bear 2004-11-15.jpg

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Ursidae
Género:Ursus
Espécie:U. maritimus

Nome binomial
Ursus maritimus
Phipps, 1774

Distribuição geográfica
Distribuição do urso-polar.
Distribuição do urso-polar.
urso-polar (Ursus maritimus), também conhecido como urso-branco, é um mamífero membro da família dos Ursídeos, típico e nativo da região do Ártico e atualmente um dos maiores carnívoros terrestres conhecidos. Dentre todos os ursos, este é o que mais se alimenta de carne.
Fáceis de tratar, são um dos animais mais populares nos jardins zoológicos. O primeiro zoológico nos Estados Unidos, inaugurado na Filadélfia em 1859 tinha um urso-polar como uma de suas atrações.
Urso-europeu
Ours brun parcanimalierpyrenees 2.jpg

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Ursidae
Género:Ursus
Espécie:Ursus arctos
Subespécie:U. arctos arctos

Nome trinomial
urso-europeuUrsus arctos arctos, é uma subespécie do urso pardoUrsus arctos, e é encontrado em algumas partes da Europa.
O urso-europeu está ameaçado de extinção por causa do desmatamento, caça e avanços urbanos, porém, na atualidade, as ameaças são apenas caças, incêndios e atropelamentos, pois o desmatamento e avanço urbano não são atividades ainda muito praticadas já que a Europa é um continente desenvolvido. Antigamente, habitava a maior parte da Europa, mas foi muito caçado e capturado para serem utilizados no Coliseu romano e em circos. Sua preservação varia muito de região para região, pois as populações estão muito fragmentadas. No centro da Europa, estão vulneráveis à extinção. Já nos Pireneus e nos Alpes, estão em perigo crítico de extinção. Hoje, é encontrado apenas nos Alpes, nos Pireneus, no Norte da Europa (FinlândiaRússiaSuécia), nos Balcãs (uma pequena cordilheira situada em alguns países balcânicos como GréciaBulgáriaRomênia e Eslovênia), e alguns poucos nos Montes Cárpatos. Além da caça, outra atividade que já contribui para diminuir a população selvagem de ursos na Europa foi sua utilização em espetáculos de circos e encenações pelas ruas. Após serem capturados enquanto filhotes, os ursos aprendiam, por exemplo, a andar de pé, segurar bengalas e acenar com a pata. Nos Pirenéus, localizados entre França e Espanha, existem aproximadamente 100 exemplares (20 na França e 80 na Espanha). O governo francês vem tentando evitar o desaparecimento desses animais nos Pirenéus introduzindo ursos-europeus da Eslovênia.
Leão
Leão macho
Leão macho
Leoa
Leoa

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Panthera
Espécie:P. leo

Nome binomial
Panthera leo
Lineu1758

Distribuição geográfica
Distribuição de Leões na África
Distribuição de Leões na África
Distribuição de Leões na Índia
Distribuição de Leões na Índia

Sub-espécies
leão (do latim leone)[1][2] (Panthera leo) é um dos quatro grandes felinos no gênero Panthera, membro da família Felidae. Com alguns machos excedendo 250 kg em peso, ele é o segundo maior felino vivente depois do tigre. Leões selvagens existem atualmente na África Subsaariana e na Ásia com uma população remanescente em perigo crítico, na Floresta de Gir na Índia, tendo desaparecido da África do Norte e do Sudoeste Asiático em tempos históricos. Até o Pleistoceno tardio, há cerca de 10 000 anos, o leão era o mais difundido grande mamífero terrestre depois dos humanos. Eles eram encontrados na maior parte da África, muito da Eurásia, da Europa Ocidental à índia, e na América do Yukon ao Peru.
Leões vivem por volta de 10-14 anos na natureza, enquanto em cativeiro eles podem viver mais de vinte anos. Na natureza, machos raras vezes vivem mais do que dez anos, visto que ferimentos sofridos em combate contínuo com machos rivais reduzem sua longevidade. Originalmente era encontrado na EuropaÁsia e África. Tais felinos possuem coloração variável, entre o amarelo-claro e o marrom-escuro, com as partes inferiores do corpo mais claras, ponta da cauda com um tufo de pêlos negros e machos com uma longa juba. Há ainda uma variedade genética de leões brancos, que apresentam dificuldades de sobrevivência por se destacarem nas savanas ou selvas, logo, tendo imensas dificuldades de caça. São exclusivos da reserva de Timbavati, localizada no Parque Nacional Kruger, na África do Sul.
Os leões estão muito concentrados atualmente nas savanas reservadas, onde caçam principalmente grandes mamíferos, como antílopeszebrasjavalis; um grupo abate um búfalo-africano entretanto, se o bando estiver faminto pode abater um elefante jovem, desde que esteja só. Também é frequente o confronto com hienas, estando estas em bandos ou não, por disputa de território e carcaças.
O leão é apelidado de o "rei dos animais" por se encontrar - em condições naturais e normais - no topo da cadeia alimentar dos animais que habitam em terra seca. São felinos muito sociáveis: um grupo pode possuir até quarenta indivíduos, composto na maioria por fêmeas.
Leão Branco
Leão-sul-africano leucístico
Leão-sul-africano leucístico

Estado de conservação
Status none PEW.svg
Em perigo crítico, possivelmente extinta na natureza
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Panthera
Espécie:P. leo
Subespécie:P. leo krugery

Nome binomial
Panthera leo
Lineu1758

Sub-espécies
leão branco constitui uma rara mutação de cor do leão-sul-africano (Panthera leo krugeri), devida a uma particularidade genética chamada leucismo. Não constitui uma subespécie. Distingue-se dos outros apenas pela sua pelagem muito clara, quase branca, causada por anomalias em seus genes. Os seus olhos são dourados ou azuis.
Esta característica não acarreta problemas fisiológicos – ao contrário do albinismo, o leucismo não confere maior sensibilidade ao sol. No entanto constitui uma desvantagem, pois reduz a sua capacidade de se camuflar na caça às suas presas.
Estes leões nunca foram muito vulgares na natureza. O gene que confere esta característica é recessivo, e apenas se revela quando são cruzados indivíduos portadores do gene mutante. Este cruzamento é feito propositadamente em zoológicos por já não existirem mais na natureza por essa razão é nestes onde existe o maior número de indivíduos. Apareciam também na reserva de Timbavati e no parque Kruger, naÁfrica do Sul, mas desde 1993 não são avistados,praticamente extintos da natureza.
Leões brancos não são albinos. Sua cor branca é causada por um gene inibidor recessivo, diferente do gene do albinismo. Eles variam de loiro por quase branco.
Existem também leões brancos por albinismo; esses possuem os olhos vermelhos e apresentam grande sensibilidade ao sol. São raros e ameaçados de extinção.
Tigre
Tigre adulto
Tigre adulto

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Panthera
Espécie:P. tigris

Nome binomial
Panthera tigris
(Linnaeus, 1758)

Distribuição geográfica
Mapa de distribuição do tigre em 1900 (em laranja) e após 1990 (em vermelho).
Mapa de distribuição do tigre em 1900 (em laranja) e após 1990 (em vermelho).
Tigre (Panthera tigris) é um mamífero da família dos Felinos ou Felídeos. É uma das quatro espécies dos "grandes gatos" que pertence ao género Panthera. Os tigres são predadores carnívoros.
Um macho adulto pesa em média 300 kg, tem 1,10 m de altura na cernelha e 3,50 m de comprimento (incluindo a cauda). São caçadores noturnos e apesar de seu grande tamanho, podem se aproximar de suas presas em completo silêncio, antes de se precipitar sobre elas a curta distância. Entre os carnívoros terrestres eles têm os maiores dentes que podem chegar a 10 cm e as maiores garras atingindo os 8 cm. A força da sua mordida é uma das mais fortes entre todos os felinos. Ele é um grande nadador, eles usam isso para se refrescarem. Já foram vistos tigres que nadaram mais de 5km. Alem disso são ágeis e velozes, capazes de andar em terrenos rochosos e subir em arvores com troncos grossos (apesar não subirem com freqüência, já que nunca tem motivos para isso). São caracterizados por suas listras, cada tigre possui um padrão, não existem dois tigres com o mesmo padrão, são como nossas digitais.
Guepardo

Ocorrência: Pleistoceno Superior - Recente
Acinonyx jubatus
Acinonyx jubatus

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Subordem:Feliformia
Família:Felidae
Género:Acinonyx
Espécie:A. jubatus

Nome binomial
Acinonyx jubatus
(Schreber1775)

Distribuição geográfica
██ Presença histórica ██ Presença baixa ██ Presença média██ Elevada presença
██ Presença histórica
██ Presença baixa
██ Presença média
██ Elevada presença
guepardo, também conhecido como chitalobo-tigreleopardo-caçador ou onça-africana, (Acinonyx jubatus), é um animal da família dos felídeos (Felidae), ainda que de comportamento atípico, se comparado com outros da mesma família. É a única espécie vivente do gênero Acinonyx. Tendo como habitat a savana, vive na ÁfricaPenínsula Arábica e no sudoeste da Ásia. Físicamente, é significativamente parecido com o leopardo. As almofadas das patas da chita têm ranhuras para tracionar melhor em alta velocidade, e sua longa cauda serve para lhe dar estabilidade nas curvas em alta velocidade. Cada chita pode ser identificada pelo padrão exclusivo de anéis existentes em sua cauda, tem uma cabeça pequena e aerodinâmica e uma coluna incrivelmente flexível, são habilidades que ajudam bastante na hora da perseguição.
É um animal predador, preferindo uma estratégia simples: caçar as suas presas através de perseguições a alta velocidade, em vez de tácticas como a caça por emboscada ou em grupo, mas por vezes, pode caçar em dupla. Consegue atingir velocidades de 115 a 120 km/h, por curtos períodos de cada vez (ao fim de 400 metros de corrida), sendo o mais rápido de todos os animais terrestres, porém em uma certa ocasião, avistou-se um guepardo que correu atrás de sua presa por 640 metros em 20 segundos, (medidos com um cronômetro), e 73 metros em aproximadamente 2 segundos.[1]
O corpo da chita é esbelto, musculado e esguio, ainda que de aparência delgada e constituição aparentemente frágil. Tem uma caixa torácica de grande capacidade, um abdómen retraído e uma coluna extremamente flexível. Tem uma cabeça pequena, um focinho curto, olhos posicionados na parte superior da face, narinas largas e orelhas pequenas e arredondadas. O seu pêlo é amarelado, salpicado de pontos negros arredondados, e na face existem duas linhas negras, de cada lado do focinho, que descem dos olhos até à boca, formando de fato um trajecto de lágrimas. Um animal adulto pode pesar entre 28 e 65 kg. O comprimento total do corpo varia de 112 a 150 cm. O comprimento da cauda, usada para equilibrar o corpo do animal durante a corrida, pode variar entre 62 e 85 cm.
Leopardo
Leopardo numa árvore
Leopardo numa árvore

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Panthera
Espécie:P. pardus

Nome binomial
Panthera pardus
Lineu1758 )

Distribuição geográfica
Mapa de distribuição do leopardo.
Mapa de distribuição do leopardo.
Leopardo (Panthera pardus), também chamado onça-do-cabo-verde em Angola, é, com o leãotigre e Onça Pintada, um dos quatro "grandes gatos" do gênero Panthera. Medem de 1,25 m a 1,65 m de comprimento, e pesam entre 30 e 90kg. As fêmeas têm cerca de dois terços do tamanho do macho. De menor porte do que a Onça Pintada, o leopardo não é menos feroz. Habita a África e Ásia. Possui várias subespécies, algumas criticamente ameaçadas, como o leopardo-de-amur, o leopardo-da-barbária e o leopardo-da-arábia. O leopardo-nebuloso (Neofelis nebulosa) e o leopardo-das-neves (Uncia uncia) são espécies que pertencem a gêneros diferentes, apesar do nome leopardo em comum
Onça-pintada
Onça-pintada
Onça-pintada

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Panthera
Espécie:P. onca

Nome binomial
Panthera onca
Linnaeus1758

Distribuição geográfica
██ Distribuição original ██ Distribuição actual
██ Distribuição original
██ Distribuição actual
onça-pintada (Panthera onca), também conhecida como jaguar ou jaguaretê é um grande felino, do gênero Panthera, e é a única espécie Panthera encontrado nas Américas. É o terceiro maior felino do mundo após o tigre e o leão, e o maior do Hemisfério Ocidental.
Mamífero da ordem dos carnívoros, membro da família dos felídeos, é encontrada nas regiões quentes e temperadas do continente americano, desde o sul dos Estados Unidos até o norte da Argentina. É um símbolo da fauna brasileira. Os vocábulos "jaguar" e "jaguaretê" têm origem no termo da lingua guarani jaguarete.
Este felino manchado mais se assemelha ao leopardo fisicamente, embora seja geralmente maior e mais resistente. As características do seu comportamento e habitat são mais próximas às do tigre. Embora seu habitat preferido seja a densa floresta tropical, é também encontrado em uma variedade de terrenos abertos.
A onça pintada está fortemente associada com a presença de água e é notável, juntamente com o tigre, como um felino que gosta de nadar. Anda em grande parte solitária, mas é oportunista na seleção de presas. É também um importante predador, desempenhando um papel na estabilização dos ecossistemas e na regulação das populações de espécies de presas. Tem uma mordida excepcionalmente poderosa, mesmo em relação aos outros felinos. Isso permite que ela fure a casca dura de répteis como a tartaruga e de utilizar um método de matar incomum: ela morde diretamente através do crânio da presa entre os ouvidos,uma mordida fatal no cérebro.
Está quase ameaçada de extinção e seu número está em queda. As ameaças incluem a perda e fragmentação do seu habitat. Embora o comércio internacional de onças ou de suas partes esteja proibida, o felino ainda é frequentemente morto por seres humanos, particularmente em conflito com fazendeiros e agricultores. O felino tem sido largamente extinto nos Estados Unidos desde o início do século 20.
A onça faz parte da mitologia de diversas culturas indígenas americanas, incluindo a dos maiasastecas e guarani. Na mitologia maia, apesar de ter sido cotada como um animal sagrado, era caçada em cerimônias de iniciação dos homens como guerreiros.
Suçuarana

Ocorrência: Pleistoceno Médio a Recente
MountainLion.jpg

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Puma
Espécie:P. concolor

Nome binomial
Puma concolor
Linnaeus, 1771)

Distribuição geográfica
Mapa de distribuição da suçuarana.
suçuarana também conhecida como puma (Puma concolor, anteriormente Felis concoloronça-pardaonça-Vermelhacougarjaguarunaleão-baioleão-da-montanha, dependendo da região, é ummamífero da família Felidae nativo das Américas. Este felino grande e solitário tem a maior área de distribuição entre todos os grandes mamíferos terrestres do hemisfério ocidental, sendo encontrado desde oYukon no Canadá aos Andes meridionais.[1] Como espécie adaptável e generalista, a suçuarana é encontrada em qualquer região e tipo de habitat do Novo Mundo. É o segundo felino mais pesado do Novo Mundo, a seguir à onça-pintada. Apesar de grande, é mais aparentada dos pequenos felinos. Alguns cientistas consideram a suçuarana e guepardo como parentes próximos.
Um hábil predador de espera e emboscada, a suçuarana caça uma variedade de presas. As fontes primárias de alimento incluem ungulados como cervos (incluindo alces e uapitis) e Carneiro-selvagem, bem como gado domésticocavalos, e ovelhas, em particular na parte norte da sua área de distribuição. Também pode caçar espécies tão pequenas como insetos e roedores. Prefere habitats com vegetação rasteira densa e áreas rochosas adequadas às emboscadas, mas também pode viver em áreas abertas.
A suçuarana é territorial e persiste em densidades demográficas baixas. Os tamanhos dos territórios individuais dependem do terreno, vegetação, e abundância de presas. Embora seja um grande predador, nem sempre é a espécie dominante na sua área de distribuição, como quando compete pelas suas presas com animais como o lobo-cinzentoonça-pintadaurso-negro e urso-cinzento . É um animal recluso e normalmente evita pessoas. Os ataques a seres humanos permanecem raros, apesar de um aumento recente de frequência.
Devido ao excesso de caça após a colonização europeia da América e da ocupação humana contínua dentro do seu habitat, as populações diminuíram na maior parte de sua área histórica de distribuição. Em particular, a suçuarana foi extinta no leste da América do Norte , com exceção de uma subpopulação isolada no estado da Flórida, nos Estados Unidos. Há muitos avistamentos que afirmam que o animal foi recolonizando partes do seu antigo território oriental, como Ontário no CanadáMainePenínsula Superior, Norte do MichiganMissouri e Illinois nos Estados Unidos. Um leão fotografado por guardas-florestais de Indiana, Estados Unidos em maio de 2010, pode ter escapado do cativeiro alguns anos antes.
Leopardo-nebuloso
Leopardo-nebuloso no Zoológico de Nashville, em Grassmere
Leopardo-nebuloso no Zoológico deNashville, em Grassmere

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Neofelis
Espécie:N. nebulosa

Nome binomial
Neofelis nebulosa

Distribuição geográfica
Clouded leopard prevalence.png
leopardo-nebuloso ou pantera-nebulosa (Neofelis nebulosa) é um felino de tamanho médio, medindo de 60 a 110 cm de comprimento e pesando entre 16 e 23 kg. Possui pelagem bronzeada ou marrom-clara e distintamente marcada com grandes elipses irregulares, de bordas escuras, das quais se diz terem formato de nebulosas, daí tanto seu nome vulgar quanto científico.
Vive nas florestas do NepalMalásiaChinaBornéu e Sumatra. Embora sua área de ocorrência seja bastante extensa para os padrões atuais, é uma espécie que tende a desaparecer, devido principalmente à destruição de seu habitat.
É, de todos os felinos, o que possui os caninos proporcionalmente mais longos. Alimenta-se de pequenos mamíferos. Sua gestação, em cativeiro, dura entre 86 e 93 dias; nascem usualmente dois filhotes, cada um pesando 170 gramas.
Pesquisas genéticas patrocinadas pelo Fundo Mundial para Conservação da Vida Selvagem - WWF apontam a existência de uma segunda espécie em Borneo. A espécie foi batizada de Neofelis diardi.
Leopardo-das-neves
Uncia uncia.jpg

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Uncia
Espécie:U. uncia

Nome binomial
Panthera uncia
Schreber1775)

Distribuição geográfica
Mapa de distribuição do leopardo-das-neves.
Mapa de distribuição do leopardo-das-neves.
Sinónimos
Leopardo-das-neves (Uncia uncia) é um felino que habita as grandes altitudes da Ásia central, principalmente o Tibete, o Nepal, a Índia, o Paquistão, o Himalaia e o monte Everest. Pouco se sabe a respeito desse animal arredio e solitário, que raramente é visto por seres humanos.
Gato-do-mato
Gato-do-mato de 9 meses de idade (na época da foto) em janeiro de 2009, no chão do Arinal Volcano Obsevatory, Costa Rica.
Gato-do-mato de 9 meses de idade (na época da foto) em janeiro de 2009, no chão do Arinal Volcano Obsevatory, Costa Rica.

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Leopardus
Espécie:L. tigrinus

Nome binomial
Leopardus tigrinus
Schreber, 1775

Distribuição geográfica
Leopardus tigrinus map.svg
gato-do-mato ou gato-do-mato-pequeno (Leopardus tigrinus) é um felino originário da América Central e América do Sul. É também conhecido também pelos nomes de gato-do-mato-pintadogato-selvagem e gato-tigre
Jaguarundi
Jaguarundi-s.jpg

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Felidae
Género:Puma
Espécie:P. yagouaroundi

Nome binomial
Puma yagouaroundi
(Geoffroy, 1803)[1]

Distribuição geográfica
Distribuição do jaguarundi
Distribuição do jaguarundi
jaguarundi ou Gato-mourisco (Puma yagouaroundi) é um mamífero da família dos felídeos, encontrado desde os Estados Unidos até ao norte da Argentina. Possui cerca de 60 cm de comprimento de corpo, 45 cm de cauda e pesa 6 kg. Tem orelhas e pernas curtas e pelagem de coloração marrom pardacenta uniforme, salpicada com pontinhos mais claros na maior parte do corpo (a ponta dos pêlos é de cor mais clara), havendo muita variação individual. Também é conhecido pelos nomes de eirá, gato-mourisco, gato-preto e maracajá-preto. O jaguarundi tem o hábito de viver em bordas de banhados, beira de rios ou de lagos, sendo também encontrado em lugares secos, com vegetação aberta. Sua alimentação pode ser tanto de mamíferos como de aves, porém dando preferência a presas de grande porte. Também é encontrado no Brasil.
Macaco
Macaco das cavernas de Batu, na Malásia.
Macaco das cavernas de Batu, na Malásia.
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Primatas
Subordem:Haplorrhini
Infraordem:Simiiformes

Distribuição geográfica
Distribuição mundial dos macacos.A vermelho macacos do Velho Mundo e a laranja do Novo Mundo
Distribuição mundial dos macacos.
A vermelho macacos do Velho Mundo e a laranja do Novo Mundo
Macaco é um termo de origem africana (provavelmente do bantomakako[1] utilizado como designação comum a todas as espécies de símios ou primatas antropóides, aplicada no Brasil, restritivamente, aoscebídeos (ou macacos do Novo Mundo) em geral. No sentido estrito, macaco refere-se às espécies de primatas pertencentes ao género Macaca.
A designação mico, (miko) se origina segundo Aurélio do caraíba (karib) continental, bastante usada no Brasil, costuma aplicar-se às espécies do gênero Cebus, no Sul, e às espécies de pequeno porte, ousaguis, no Norte. O termo sagui é de origem tupi e também designa os macacos calitriquídeos de pequeno porte.
A maioria dos macacos vive em países quentes, alimentando-se de frutas e de sementes. São geralmente animais sociáveis.
No sentido amplo, os chamados "grandes macacos" (bonobochimpanzégibãogorilaorangotango) são atualmente os animais mais próximos do homem, pertencentes à família dos hominídeos.
Gorila
Gorila.JPG
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Primates
Família:Hominidae
Subfamília:Homininae
Género:Gorilla
I. Geoffroy1853

Espécie-tipo
Troglodytes gorilla
Savage1847

Distribuição geográfica
Mapa distribuicao pans.png

Espécies
Os gorilas são mamíferos primatas pertencentes ao género Gorilla, endémicos das florestas tropicais do centro da África. O fato de compartilharem 98%-99% do DNA com os seres humanos faz dos gorilas o parente vivo mais próximo, logo depois dos bonobos e chimpanzés[1]. O gorila é o maior primata atualmente.
Os gorilas vivem em florestas tropicais ou sub-tropicais. Apesar da sua área de distribuição abranger apenas uma pequena percentagem de África, os gorilas existem numa grande variedade de altitudes. Os gorilas-de-montanha (Gorilla beringei beringei) habitam as florestas montanhosas do Albertine Rift, existendo entre os 2.225 até aos 4.267 m. Os gorilas-do-ocidente moram em florestas densas e pântanos das terras baixas e marisma até ao nível do mar
Macaco-verde
George Stubbs- Green Monkey.JPG

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Primatas
Família:Cercopithecidae
Género:Chlorocebus
Espécie:C. sabaeus

Nome binomial
Chlorocebus sabaeus
Linnaeus, 1758

Distribuição geográfica
Área de distribuição
Área de distribuição
macaco-verde (Cercopithecus sabaeus) é uma espécie de macaco da família dos cercopitecídeos que costuma habitar as savanas no Oeste africano. Tais primatas possuem o dorso cinza-esverdeado ecauda amarela.
Orangotango
Orangutan.jpg

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Infraclasse:Placentalia
Ordem:Primates
Subordem:Haplorrhini
Infraordem:Simiiformes
Parvordem:Catarrhini
Superfamília:Hominoidea
Família:Hominidae
Subfamília:Ponginae
Género:Pongo
Lacépède1799

Espécie-tipo
Pongo borneo
Lacépède1799

Distribuição geográfica
Mapa de distribuição do orangotango.
Mapa de distribuição do orangotango.

Espécies
orangotango (cujo nome vem de duas palavras da língua malaia que, juntas, significam "pessoa da floresta") é um animal quadrúpede da ordem dos primatas que vive nas florestas da Indonésia e da Malásia.
Tem entre 1,10 e 1,40 m de altura e pesa entre 35 e 100 kg [1], o que o faz a segunda maior espécie de primata do mundo, superado apenas pelo gorila.
Não existem muitos interesses comerciais em caçar os orangotangos, entretanto a ocupação humana nas áreas florestais de Sumatra e Bornéu colocou os orangotangos na lista de animais ameaçados de extinção. Segundo os cientistas, restam pouco mais de 100 000 orangotangos no mundo, sendo que o rápido crescimento do ritmo de devastação permite fazer a previsão que a extinção da espécie ocorrerá em algumas décadas.
Os orangotangos são animais territorialistas, para demarcar território o macho dá um grito estrondoso que avisa os outros orangotangos para não entrarem em seu território. Os machos adultos são pouco sociáveis, e procuram as fêmeas uma vez por ano, na época da seca. Uma característica sexual notável é o crescimento de "abas" nas laterais da fronte e no pescoço dos machos maduros, o que lhes dá um aspecto bastante peculiar.
As fêmeas vivem em grupos, mas aparentemente sem a mesma hierarquia encontrada em outras espécies de antropóides. Os filhotes nascem após nove meses de gestação, passando a ficar agarrados aos pelos longos das costas da mãe. No ambiente silvestre, a taxa reprodutiva é baixa, o que contribui ainda mais para o risco de extinção.
Macaco-coruja
Stavenn Aotus trivirgatus 00.jpg
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Primates
Família:Aotidae
Género:Aotus
Espécie:A. trivirgatus
Nome binomial
macaco-coruja[1] (Aotus trivirgatus) é uma espécie sul-americana de macacos que habitam as regiões de florestas tropicais.É a única espécie de macaco de hábitos completamente noturnos.Sua visão é ótima assim como sua audição e olfato.Geralmente vivem em pequenos grupos de no máximo 10 índividuos,embora já tenham sido emcontrados grupos de até 30 macacos,onde o líder,obrigatóriamente,é o macho mais velho.
Rinoceronte
Rinoceronte-branco
Rinoceronte-branco
Classificação científica
Domínio:Eukaryota
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Subfilo:Vertebrata
Classe:Mammalia
Infraclasse:Placentalia
Ordem:Perissodactyla
Superfamília:Rhinocerotoidea

Famílias
Os rinocerontes são grandes mamíferos perissodátilos (com número ímpar de dedos em cada pata) caracterizados por apresentarem uma pele espessa e pregueada e um ou dois chifres sobre o nariz; é esta característica que está na origem do nome.
Estes animais habitam as savanas e florestas tropicais da África e Ásia.
Como símbolo do safári africano, pertence ao grupo de animais selvagens chamado de big five, correspondente aos cinco animais mais difíceis de se caçar: leãoleopardoelefantebúfalo e rinoceronte.
Rinoceronte-negro
Diceros bicornis.jpg
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Infraclasse:Placentalia
Ordem:Perissodactyla
Família:Rhinocerotidae
Género:Diceros
Espécie:D. bicornis
Nome binomial
rinoceronte-negro (Diceros bicornis) é um mamífero perissodáctilo. Difere-se do rinoceronte-branco não exatamente pela cor (ambas espécies são acinzentadas) e sim pelo formato de seus lábios. É encontrado na África.
Girafa
Giraffe standing.jpg

Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Artiodactyla
Superfamília:Giraffoidea
Família:Giraffidae
Género:Giraffa
Espécie:G. camelopardalis

Nome binomial
Giraffa camelopardalis
Linnaeus, 1758

Distribuição geográfica
Distribuição das subespécies da girafa
Distribuição das subespécies da girafa

Subespécies
O termo girafa (do árabe zarAfa(t), pelo italiano giraffa) é a designação dada a mamíferos artiodátilosruminantes, do gênero Giraffa, da família dos girafídeos, no qual consta uma única espécie, a Giraffa camelopardalis, ou camelo-leopardo, como eram chamadas pelos romanos quando elas existiam no norte da África, pois acreditava-se que vinham de uma mistura de uma fêmea camelo, com um macholeopardo[carece de fontes]. São ungulados com número par de dedos.
As girafas são os únicos membros de seu gênero e, juntas com os okapis, formam a família Giraffidae. Atualmente estão listadas nove subespécies de girafa (ver em baixo), diferenciadas pela distribuição geográfica e pelo padrão das manchas. Essas várias subespécies de girafas agora habitam as terras secas ao sul do Saara. As girafas se distribuem em dois grupos: girafa-do-norte que são tricornes, isto é, com um corno nasal interocular e dois frontoparietais, apresentando pelagem predominantemente reticulada; e girafa-do-sul, sem corno nasal e a pelagem tem predominantemente malhas irregulares.
Os machos chegam a 6 metros de altura e com suas línguas preênseis que alcançam até 50 centímetros são capazes de pegar as folhas de acácias, por entre pontiagudos espinhos nos altos dos galhos, que são sua principal fonte de alimentação. Elas são capazes de comer as folhas das árvores até 6 metros de altura. Para poderem pastar, têm de afastar uma da outra as pernas dianteiras. Devido ao baixo teor nutritivo das folhas, as girafas precisam comer grandes quantidades e passam quase 20 horas por dia comendo. O comprimento do corpo pode ultrapassar os 2,25 metros e ainda possui uma cauda com 80 centímetros de comprimento, não contando com o pincel final. O seu peso pode ultrapassar os 500 quilogramas. Apesar do seu tamanho, a girafa pode atingir a velocidade de 47 km/h, suficiente para fugir de seus predadores.
Elefante
africano.
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Proboscidea
Família:Elephantidae

Géneros
Elefante é o termo genérico e popular pelo qual são denominados os membros da família Elephantidae, um grupo de mamíferos proboscídeos elefantídeos, de grande porte, do qual há três espécies no mundo atual, duas africanas (Loxodonta sp.) e uma asiática (Elephas sp.). Há ainda os mamutes (Mammuthus sp.), hoje extintos. Até recentemente, acreditava-se que havia apenas duas espécies vivas de elefantes, o elefante-africano e o elefante-asiático, uma espécie menor. Entretanto, estudos recentes de DNA sugerem que havia, na verdade, duas espécies de elefante-africano: Loxodonta africana, dasavana, e Loxodonta cyclotis, que vive nas florestas. Os elefantes são os maiores animais terrestres da actualidade pesando até 12 toneladas e medindo em média quatro metros de altura. As suas características mais distintivas são as presas de marfim.
Zebra
Zebra na África do Sul
Zebra na África do Sul
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Perissodactyla
Família:Equidae
Género:Equus

Espécies
As zebras são mamíferos, membros da mesma família dos cavalos, os equídeos, nativos da África central e do sul. A pelagem deste animal consiste num conjunto de listras contrastantes de cor, alternadamente, pretas e branca, dispostas na vertical, exceptuando nas patas, onde se encontram na horizontal.
É nas savanas africanas onde as zebras habitam. Encontram-se distribuídas por famílias: machofêmeas e filhotes. Estes animais, por serem atacados habitualmente por leões, podem se tornar animais extremamente velozes, pois para fugirem dos predadores, utilizam a fuga e seus fortes coices, podendo quebrar até a mandíbula de um felino. As listras das zebras vão escurecendo com a idade, e estes animais, embora se pareçam, não são todos iguais.
Apesar de parecerem todas iguais, as espécies de zebra existentes não são estreitamente relacionadas umas com as outras. As zebras-de-grevy têm origem de animais diferentes (de outro subgênero) daqueles que originaram as zebras-das-planícies e as zebras-das-montanhas.
Não se encontram à beira da extinção, embora a zebra-das-montanhas esteja ameaçada. A subespécie de zebra-das-planícies conhecida como cuaga (do inglês quagga, que designa o som que o animal produzia cuahaa), Equus quagga quagga, estava extinta, mas projetos de cruzamento entre zebras com coloração semelhante já recuperaram a espécie antes extinta, e o projeto liberou com sucesso vários exemplares na natureza.
Camelus
Dromedário, Camelus dromedarius.
DromedárioCamelus dromedarius.
Camelo-bactriano, Camelus bactrianus.
Camelo-bactrianoCamelus bactrianus.
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Artiodactyla
Subordem:Tylopoda
Família:Camelidae
Género:Camelus
Linnaeus, 1758

Espécies
Camelus é um género de ungulados artiodáctilos (com um par de dedos de apoio em cada pata) que contém duas espécies: o dromedário (Camelus dromedarius), de uma corcova e o camelo-bactriano(Camelus bactrianus), de dois sacos. Ambos são nativos de áreas secas e desérticas da Ásia e Norte da África. O nome camelo vem do grego kamelos a partir do hebraico gamal, "camelo". Espécies extintas do gênero foram o Camelus hesternusCamelus gigas e Camelus sivalensis.
O termo camelo é usado para descrever qualquer uma das seis espécies da família Camelidae: os dois camelos verdadeiros e os quatro camelídeos sul-americanos: a lhama, a alpaca, o guanaco e avicunha.
Os humanos têm domesticado camelos há milhares de anos. Tanto o dromedário como o camelo-bactriano são usados para obtenção de leite, carne e como animais de carga - o dromedário no norte daÁfrica e Oriente Médio e o camelo-bactriano na Ásia Central.
Mesmo existindo cerca de 13 milhões de dromedários hoje em dia, eles estão extintos como animais selvagens. Há, porém, uma população selvagem considerável de cerca de 32 000 que vivem nos desertos da Austrália central, descendentes de indivíduos que escaparam no século XIX.
O camelo-bactriano possui cerca de 1,4 milhões de indivíduos, a maioria domesticado. Há cerca de 1000 camelos selvagens no Deserto de Gobi e pequenos grupos no IrãAfeganistãoTurquia e Rússia.
Ambos são animais herbívoros. Podem tomar cerca de 200 litros de água de uma só vez. São instrumentos de travessia no deserto pois não necessitam ficar bebendo água a todo momento e constituem o transporte mais rápido pois os camelos são animais preparados para o deserto.
Chama-se cáfila a uma caravane de camelos
Bicho-preguiça
Bradypus infuscatus
Bradypus infuscatus
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Superordem:Xenarthra
Ordem:Pilosa
Família:Bradypodidae
Megalonychid
preguiça, ou bicho-preguiça, é um mamífero da ordem Xenarthra (anteriormente chamada de Edentata ou Desdentada), a mesma dos tatus e tamanduás, pertencente à família Bradypodidae (preguiças com três dedos) ou Megalonychidae (preguiças com dois dedos).
Todos os dedos têm garras longas pelas quais a preguiça se pendura aos galhos das árvores, com o dorso para baixo. Seu nome advém do metabolismo muito lento do seu organismo, responsável pelos seus movimentos extremamente lentos. É um animal de pelos longos, que vive na copa das árvores de florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. Na Mata Atlântica, o animal se alimenta dos frutos da Cecropia (embaúba, conhecida por isto como árvore-da-preguiça)
De hábitos solitários, a preguiça tem como defesa sua camuflagem e suas garras. Para se alimentar, a Preguiça utiliza-se de "dentes" que se apresentam em forma de uma pequena serra. Herbívoro, tem hábitos alimentares restritos, o que torna difícil sua manutenção em cativeiro. Dorme cerca de 14 horas por dia, também pendurada nas árvores. Na reprodução dá apenas uma cria, e apenas a fêmea cuida do filhote. Reproduz-se, como tudo que faz, na copa das árvores. Raramente desce ao chão, apenas aproximadamente a cada sete dias para fazer as suas necessidades fisiológicas. O seu principal predador é a onça-pintada.
Cangurus
Canguru fêmea junto com seu filhote
Canguru fêmea junto com seu filhote
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Infraclasse:Marsupialia
Ordem:Diprotodontia
Família:Macropodidae
Género:Macropus
Espécies
Canguru é o nome genérico dado a um mamífero marsupial pertencente a quatro espécies do género Macropus (ver caixa) da família Macropodidae, que também inclui os wallabees. As características incluem patas traseiras muito desenvolvidas e a presença de uma bolsa (o marsúpio) presente apenas nas fêmeas na qual o filhote completa seu desenvolvimento. O canguru é o animal-símbolo da Austrália.[1]
Hipopótamo
Hipopótamo no zoológico
Hipopótamo no zoológico
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Artiodactyla
Família:Hippopotamidae
Gray, 1821
Géneros
Hipopótamo (do grego ἱπποπόταμος, composto de ιππος, "cavalo", e πόταμος, "rio") o nome genérico de um mamífero ungulado de grande porte pertencente à família Hippopotamidae. É um artiodátilomamífero, próprio da África, de pele muito grossa e nua, patas e cauda curtas, cabeça muito grande e truncada num focinho largo e arredondado.
Leão-marinho
Leões-marinhos na costa do Chile.
Leões-marinhos na costa do Chile.
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Infraclasse:Placentalia
Ordem:Carnivora
Superfamília:Pinnipedia
Família:Otariidae
Subfamília:Otariinae
Género:Otaria
Espécie:O. flavescens
Nome binomial
leão-marinho é um mamífero que vive em regiões de baixas temperaturas e alimenta-se principalmente de peixes (como o cherne e o arenque) e de moluscos.
Os leões-marinhos receberam este nome pois nos machos apelagem é diferente da das fêmeas: eles têm uma espécie de juba, como os leões. Além disso, como eles têm um rugido grave, acabaram sendo chamados de "leão".
Morsa
Grande morsa no gelo, Alaska
Grande morsa no gelo, Alaska
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Infraclasse:Placentalia
Ordem:Carnivora
Família:Odobenidae
Género:Odobenus
Espécie:O. rosmanus
Nome binomial
Odobenus rosmanus
Lineu, 1758)
Distribuição geográfica
Ocorrencia = Azul
Ocorrencia = Azul
subespécie
morsa é um animal de grande porte que vive nas águas do Ártico. Uma fêmea adulta chega a 2,70 metros de comprimento e cerca de 1 tonelada de peso. O Macho adulto é ainda maior, podendo chegar a até 4 metros de comprimento. Os machos adultos do Pacífico podem pesar até 1.700 kg (3.700 lb) e, entre pinípedes, são ultrapassados ​​em tamanho apenas pelas duas espécies de elefantes marinhos. A morsa é a única espécie viva na família Odobenidae Odobenus. Subdivide-se em três subespécies: morsa do Atlântico (O. rosmarus) que vive no Oceano Atlântico, a morsa do Pacífico (O. rosmarus divergens) que habita no Oceano Pacífico e rosmarus O. laptevi, que vive no Mar de Laptev.
Lince-ibérico
Linces12.jpg
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Subfilo:Vertebrata
Classe:Mammalia
Subclasse:Eutheria
Ordem:Carnivora
Subordem:Feliformia
Família:Felidae
Género:Lynx
Espécie:L. pardinus
Nome binomial
Lynx pardinus
(Temminck , 1827)
Distribuição geográfica
Mapa de distribuição do Lince ibérico - 1960 (em cima), 2003 (em baixo).
Mapa de distribuição do Lince ibérico - 1960 (em cima), 2003 (em baixo).
Mapa distribuicao lynx pardinus 2003.png
lince-ibérico (Lynx pardinus), também conhecido pelos nomes populares de Cerval, lobo-cerval, gato-fantasma, gato-cerval, liberne, nunca-te-vi, gato-cravo ou gato-lince, é a espécie de felino mais gravemente ameaçada de extinção e um dos mamíferos mais ameaçados. Tem um porte muito maior do que um gato doméstico e o seu habitat restringe-se à Península Ibérica. Apenas existem cerca de 140 linces ibérico em liberdade em toda a Península Ibérica.
Lobo
Canis lupus laying.jpg
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Canidae
Género:Canis
Espécie:C. lupus
Nome binomial
Canis lupus
Lineu, 1758
Distribuição geográfica
•  presente •  extinto
 presente  extinto
Ver texto.
Lobo ou lobo-cinzento (Canis lupus) é o maior membro selvagem da família canidae. É um sobrevivente da Era do Gelo originário durante o Pleistoceno Superior, cerca de 300 mil anos atrás.[2] O sequenciamento de DNA e estudos genéticos reafirmam que o lobo cinzento tem uma ancestralidade comum com o cão doméstico (Canis lupus familiaris). Apesar de alguns aspectos desta afirmação terem sido questionados recentemente.[3] Uma série de outras subespécies do lobo cinzento foram identificadas, embora o número real de subespécies ainda esteja em discussão. Os lobos cinzentos são tipicamente ápice predadores nos ecossistemas que ocupam. Embora não seja tão adaptável a presença humana como as espécies de canídeos mais generalistas,[3] os lobos tem se desenvolvido em florestas temperadas,desertosmontanhastundrastaigascampos e até mesmo em algumas áreas urbanas.[4] O lobo-cinzento, o lobo-vermelho (Canis rufus) e o lobo da etiópia (Canis simensis) são as três espécies oficiais de lobos, os demais são considerados subespécies.[5]
Lobo-guará
Chrysocyon.brachyurus.jpg
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Canidae
Género:Chrysocyon
Espécie:C. brachyurus
Nome binomial
Chrysocyon brachyurus
(Illiger, 1815)
Distribuição geográfica
Maned Wolf area.png
lobo-guará (do tupi agoa'rá, "pêlo de penugem";[1]nome científicoChrysocyon brachyurus) é o maior canídeo nativo da América do Sul. A sua distribuição geográfica estende-se pelo sul do BrasilParaguai,Peru e Bolívia a leste dos Andes, estando extinto no Uruguai e talvez na Argentina, e é considerado uma espécie ameaçada. O Brasil abriga o maior número de animais; dos cerca de 25.000 indivíduos da espécie, cerca de 22.000 estão em território brasileiro.[2] Os biomas de sua ocorrência no Brasil são: CerradoPantanalCampos do Sul, parte da Caatinga e Mata Atlântica, frequentemente encontrado nosCampos Gerais, região do estado do Paraná, próximo a cidade de Guarapuava (O nome da cidade de uma referências ao animal)[3].
Raposa-do-ártico
Alopex lagopus
Alopex lagopus
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Canidae
Género:Alopex
Espécie:Alopex lagopus
Nome binomial
Alopex lagopus
(Linnaeus, 1758)
Distribuição geográfica
Azul = territorio da Raposa-do-ártico
raposa-do-ártico (AO 1945raposa-do-árcticoAlopex lagopus), também conhecida por raposa-polar, é uma raposa de pequenas dimensões habitante do Hemisfério Norte. Embora alguns classificadores as relacionem ao gênero Vulpes, este animal é considerado atualmente como o único membro do gênero Alopex.
Raposa
Vulpes vulpes laying in snow.jpg
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Canidae
Género:VulpesAlopex,
OtocyonUrocyon
As raposas são animais mamíferos onívoros pertencentes à família Canidae. São canídeos de porte médio, caracterizados por um focinho comprido e uma cauda longa e peluda. Também apresentam como particularidade suas pupilas ovais, semelhantes às pupilas verticais dos felídeos.
Vombatidae
Vombatus ursinus (Wombat in snow).jpg
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Marsupialia
Subordem:Diprotodontia
Família:Vombatidae
Géneros
Vombatidae é uma família de marsupiais originários da Austrália. Têm a aparência de um pequeno e musculado urso de patas pequenas. O seu comprimento é de aproximadamente 1 metro e têm uma caudamuito pequena. São herbívoros, alimentam-se de ervas e raízes. Constroem longos sistemas de túneis subterrâneos com a ajuda das suas poderosas garras e com os seus dentes. São essencialmente noturnose difíceis de observar.
Capivara
Capybara Hattiesburg Zoo (70909b-42) 2560x1600.jpg
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Rodentia
Família:Caviidae
Género:Hydrochoerus
Espécie:H. hydrochaeris
Nome binomial
Hydrochoerus hydrochaeris
(Linnaeus, 1766)
Distribuição geográfica
Hydrochoerus hydrochaeris range.png
Encontrada em certas áreas das Américas do Sul e Central, próximo a rios e lagos, a capivara (Hydrochoerus hydrochaeris) é o maior roedor herbívoro do mundo. Alimenta-se de capins e ervas, comuns emvárzeas e alagados, e pode chegar a pesar até 80 kg.

Bubalus
Bubalus bubalis var. kerebau
Bubalus bubalis var. kerebau
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Artiodactyla
Família:Bovidae
Subfamília:Bovinae
Género:Bubalus
Espécies
Os búfalos são animais domésticos da família dos bovídeos, de origem asiática, utilizados para produzir carne e leite para consumo humano.
São classificados na sub-família Bovinaegênero Bubalus, sendo divididos em dois grupos principais: o Bubalus bubalis com 2n=50 cromossomos, também conhecidos como "River Buffalo" búfalo-do-rio, e oBubalus bubalis var. kerebau ou Carabao com 2n=48 cromossomos, composto por apenas uma raça, conhecida como "Swamp Buffalo" búfalo-do-pântano.[1]
Diabo-da-tasmânia
Macho adulto no Parque Conservacionista em Taranna, península de Tasman.
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Infraclasse:Marsupialia
Ordem:Dasyuromorphia
Família:Dasyuridae
Género:Sarcophilus
Espécie:S. harrisii
Nome binomial
Sarcophilus harrisii
(Boitard, 1841)
Distribuição geográfica
Distribuição geográfica atual (em cinza).
Distribuição geográfica atual (em cinza).
Sinónimos
diabo-da-tasmânia ou demônio-da-tasmânia (português brasileiro) ou demónio-da-tasmânia (português europeu) (nome científicoSarcophilus harrisii, do gregosarx, carne + philos, amigo; e harrisii, em homenagem a George Harris) é um mamífero marsupial da família Dasyuridae endêmico da ilha da TasmâniaAustrália. Através do registro fóssil sabe-se que a espécie habitou também a Austrália continental, tendo se extinguido há cerca de três mil anos. As causas do desaparecimento são desconhecidas mas pensa-se que tenha sido influenciado pela introdução do dingo, pela chegada e expansão dos aborígenes e por influência climática do El Niño durante o Holoceno.
Hyaenidae
Hiena-riscada
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Carnivora
Família:Hyaenidae
Géneros
Hyaenidae é a família da ordem Carnivora que inclui os vários tipos de hienas e o lobo-da-terra. O grupo habita as planícies e savanas de África e oeste da Ásia e nenhum dos seus membros corre actualmente perigo de extinção – apesar da hiena-castanha possuir uma distribuição geográfica restrita ao sul da África. Apesar de se parecerem exteriormente com os canídeos, as hienas têm maior afinidade com a famíliaViverridae e, juntamente com os membros dessa última e com os membros da família Felidae, têm origem na extinta família Viverravidae.
Indian Pangolin
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mamíferos
Ordem:Pholidota
Família:Manidae
Género:Manis
Espécies:M. crassicaudata
Nome binomial
Manis crassicaudata
Cinza de 1827
Pangolin indiana ( Manis crassicaudata ) ou "Scaly Ant-eater" é um pangolim que é encontrado nas planícies e colinas da Índia , Sri Lanka e algumas partes do Paquistão . Não é comum em qualquer lugar da sua gama. Como pangolins outros, tem grandes escamas sobrepostas sobre o corpo que atuam como uma armadura. Ele também pode enrolar-se em uma bola como auto-defesa contra os predadores, como o tigre . Sua cor de suas escamas varia e depende da cor da terra em seu entorno. [ 3 ] É um insetívoro que se alimenta de formigas e cupins, cavando-os para fora de montes e árvore-logs usando suas garras long
Jerboa
Jaculus jaculus
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Ordem:Rodentia
Superfamília:Dipodoidea
Família:Dipodidae
Fischer de Waldheim, 1817
Géneros
Jerboa é o nome genérico dado aos roedores da família Dipodidae. Com orelhas longas, um rabo comprido e saltitante como um canguru, esse animal corre risco de extinção. Vive no Deserto de Gobi, naMongólia e na China e também no nordeste da África. Mede menos de dez centímetros. Comem insetos e têm hábitos noturnos. Não se sabe muito sobre ele, mas as pesquisas são muitas. O que se sabe é que é uma espécie única, sem parentescos.
Tamanduá-bandeira
Tamanduá-bandeira
Tamanduá-bandeira
Estado de conservação
Classificação científica
Reino:Animalia
Filo:Chordata
Classe:Mammalia
Infraclasse:Placentalia
Superordem:Xenarthra
Ordem:Pilosa
Família:Myrmecophagidae
Género:Myrmecophaga
Linnaeus, 1758
Espécie:M.tridactyla
Nome binomial
tamanduá-bandeiraurso-formigueiro-gigante ou papa-formigas-gigante (Myrmecophaga tridactyla) é um mamífero xenartro da família dos mirmecofagídeos, encontrado na América Central e na Sul. Ele está ameaçado de extinção

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário